2021: DEDIQUEMO-NOS A VÊNUS

TEXTO: HELENA COUTO BARONE DJUKIC

Após um ano de vicissitudes, muitas dificuldades e perdas inimagináveis no decorrer de 2020, por conta da pandemia do corona-vírus, tudo o que queremos para o ano de 2021 é mudança e dias melhores!

Parece que o temido Plutão saiu das profundezas do submundo e provocou esta flagelada revolução, permeada de desventura, desolação e morte num momento de descuido de Júpiter, o Deus dos deuses, aquele que deveria garantir a ordem e o equilíbrio na Terra! Os eventos externos obrigam-nos a tomar medidas internas para transpor ou amenizar os malefícios causados em nossas vidas!

Ano Novo é a época em que mais renovamos a nossa fé e esperança para que o futuro nos abençoe com a realização dos nossos desejos e aspirações materiais, emocionais, intelectuais e espirituais; afinal de contas, somos uma mescla dos quatro elementos! Desejamos o retorno ou abundância de saúde, de trabalho, de amor, da beleza e da alegria de viver! Sonhamos em recuperar o tempo perdido, em voltar a trabalhar, em casa ou no escritório, quitar as dívidas, reunir a família, almoçar com os colegas, encontrar-se com os amigos, celebrar aniversários, casamentos e formaturas, exercitar-se ao ar livre, ir ao cinema e ao teatro; enfim, resgatar a nossa vida como era antes da pandemia, que nos impôs perdas, frustração, sofrimento e resignação.

Até então, só tínhamos tido conhecimento de tamanha desarmonia na humanidade em escala global por relatos da História, devido às milhares de mortes registradas pela peste negra, varíola e cólera.

Para muitos, o equilíbrio para o Novo Ano que se inicia só poderá ser retomado quando grande parte da população mundial for vacinada. Para outros, a socialdemocracia deveria ser ampliada, entre tantas outras ideias.

O que a vida nos revela é que, em nível pessoal, cada um de nós pode buscar esse equilíbrio agora, sem perda de tempo. “Mas como”? Desenvolvendo as qualidades inerentes ao amor próprio e ao próximo. “O que preciso fazer”? Fortalecer a vontade e agir com foco e determinação. “Para realizar o quê”? Para atingir o tão almejado equilíbrio!

O equilíbrio é imperioso para nos sentirmos em Harmonia, que é a mais bela expressão do Amor. Dediquemos este ano que se inicia a Vênus, a Deusa do Amor e da Harmonia nas relações, nos romances e parcerias, por meio do tato e diplomacia, graça e beleza. O equilíbrio não reside em tornar-se o oposto do que se é, mas sim em buscar no extremo oposto algumas das qualidades que faltam em nossa personalidade; é atingir o ponto central entre as polaridades que os signos e os quatro elementos nos demonstram.

A primeira lição é parar de se lamuriar e vitimizar por causa dos problemas. Mãos à obra! Em muitos deles, as raízes encontram-se no medo, na preguiça, no apego ou na vaidade.

Perdeu o trabalho? Não desanime! Você sabe muito bem que não detém um único talento na vida. Comece a desenvolver um novo ou antigo dom, até então adormecido, a fim de se reintegrar no mercado de trabalho ou tornar-se seu próprio chefe num novo negócio. Desenvolva o que estiver relacionado à disciplina, responsabilidade e praticidade (Elemento Terra).

Você dá amor demais e não é correspondido? O amor acabou ou está desgastado? Não se apegue ao que já morreu! Busque resgatar a sua autoestima porque o próximo amor espera que você esteja pronto para a nova relação! Ou será que você é emocionalmente carente e goste de fazer tempestade em copo d’água? Talvez você careça de emoções e as pessoas dizem que você é insensível? Dedique-se aos assuntos relacionados aos sentimentos (Água) e aprenda a ser sensível, a doar e compartilhar na dose certa.

Você vive em companhia e não consegue viver sozinho, dependendo sempre da opinião dos demais? Não sabe dizer não e pensa que é capacho dos demais? Ou você é do tipo que pensa que sabe tudo melhor e quer impor sempre a sua vontade? Ou vive sozinho, como um ermitão, acreditando que supre todas as suas necessidades sociais e intelectuais? Comece a buscar e aprofundar seus conhecimentos, através de viagens e leituras filosóficas, místicas ou religiosas, de modo a ampliar sua visão de mundo! Saiba diferenciar informação de sabedoria! Se ao contrário, você vive no mundo da lua divagando e meditando sobre um mundo utópico e conceitual esquecendo as implicações do dia-a-dia, aterrisse, lunático! O elemento Ar é seu aliado para harmonizar a sociabilidade e o corpo mental-espiritual. Elimine a indiferença e a arrogância ou o excesso de sociabilidade.

Você é egocêntrico, tem muita energia, “se vira nos 30” mas nunca está satisfeito? Ou ao contrário, não tem fé em si próprio e nem ânimo para lutar por seus sonhos e ideais? Pratique a humildade, desenvolva a criatividade, assuma riscos e brilhe como o Sol (Fogo)!

Estamos fadados a progredir e a evoluir em todos os aspectos da vida, e a evolução é realizada durante toda a nossa existência. Podemos dar uns passos para trás, mas devemos sempre ter como meta o crescimento, jamais a involução. Plutão é mau, mas através do simbolismo do seu poder que exige transformação, vemos que também é bom, pois a despeito do caos, houve transformações positivas sob diversos aspectos. Vimos o despertar da solidariedade e do avanço tecnológico: empresas desenvolvendo melhores produtos e serviços na área da saúde, alimentos e transportes, indivíduos que começaram a auxiliar seus vizinhos, parentes, amigos e desconhecidos, o fortalecimento da economia local e a reprogramação profissional.

Em 2004 tive meu primeiro mapa astral feito por um astrólogo. Fiquei tão encantada em ver que ele sabia tão bem descrever a minha personalidade, que quis me aprofundar em Astrologia e tentar desvendar certos mistérios que regem as nossas vidas. Plutão e seu capanga corona-vírus também me forçaram a me reinventar em 2020. Até então dando aulas de Português online, passei a trabalhar como astróloga, e tenho sentido uma enorme satisfação em poder ajudar as pessoas a se conhecerem melhor; confirmando as áreas onde possuem facilidade, estabilidade e satisfação, verificando os talentos a desenvolver e indicando os pontos desarmoniosos, que demandam tomada de consciência e transmutação.